quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Namastê

OOiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!
Último post: 24/03/2013
Vergonhe na cara se vende em garrafinhas gente ? Tô precisando! Alguem me da de presente ??????????
Se têm 4 meses que eu não posto NADA, têm quanto tempo que eu não falo de gatos ? Então hoje eu vou  fazer um documentário chamado "gataria". Tô loooooooouca pra mostrar pra vocês o meu rascunho de história que estou escrevendo mas realmente está na hora de falar sobre o assunto oficial do blog! A história fica pra uma proxima.

GATARIA
   Tudo começou em um belíssimo finzinho de tarde, em que eu não aguentava mais ficar em casa totalmente entediada jogando POU no celular (joguinho mto top), coisa que eu estava fazendo já há uma semana. 
   Como ainda faltavam 3 dias para a 6a feira (minha mãe só me deixa sair aos fins de semana) eu resolvi levar a minha maninha de 3 anos (fofura!!!!!!! ^.^) pra dar uma voltinha no nosso bairro. Nessas voltinhas, eu normalmente deixo ela escolher pra onde a gente vai em cada cruzamento que têm no caminho. Aquele dia, ela resolver ir em frente até a pista. Andamos calmamente por vários quarteirões até que passou um cachorro preto na nossa frente (devia ser proibido ter cachorro na rua, ela SEMPRE quer seguir o cachorro). Ela, como sempre, quis seguir o cachorro e acabou que a gente foi parar na casa de uma vizinha que têm dois gatos e um cachorro preto e que todo dia, sem exceções, vai para um banco na calçada de casa pra dar boa tarde pra quem passa na rua.
   Vizinha  muito simpática, tenho que dizer, e minha irmã (que infelizmente prefere cachorros do que gatos) se convidou pra sentar no banco e passar a mão no cachorro. A moça se encantou com ela, e as duas ficaram absolutamente entretidas. Eu, sobrando, passei o olho em volta e algo me chamou atenção: um gato amarelo no meio de um terreno baldio coberto de mato amarelado. Como sou apaixonada por gatos de todos os tipos (e quando digo todos, quero dizer TODOS mesmo), eu logo perguntei para a mulher se aquele gato era dela e ela disse que sim. Novamente eu confirmei a crença que todo mundo têm: gatos são preguiçosos. Aquela coisa amarela estava deitada no meio do mato, numa parte bem fofa da areia, com o sol de fim de tarde bem em cima dela. Me perguntei como alguém pode não gostar de gatos. 
   Essas foram minhas 2 conclusões daquele momento. Mais pra frente me deparei com a cópia exata do garfield. Alguém aí já viu um gato assim ? é uma delícia de fofo @.@ outro gato que estava deitado curtindo o sol. Eu me encantei. Apaixonada por essas fofuras. Mas também, quem não é? Vendo ali aqueles gatos deitados assim, me deu uma vontade também de me deitar no sol e aproveitar o fim de tarde... Naquele dia eu reencontrei a minha paz interior. (que já sumiu de novo). E descobri que todos nós temos o que aprender e o que ensinar. Aqueles gatos me ensinaram a descansar no sol e não na sombra, pois facilidade demais nos atrapalha ao invés de ajudar. Então é assim que termino meu documentário: Namastê.